Esta é uma das principais conclusões do LITES (“LED based Intelligent Lighting for Energy Savings), projeto de demonstração e estudo da viabilidade económica da iluminação pública por LED através de sistemas inteligentes. O projeto envolve a Universidade de Aveiro (UA), as universidades Técnica de Riga, na Letónia, e de Toulouse, em França, o Politécnico de Torino, em Itália, a ThornLighting, empresa subsidiária do grupo Zumtobel, e também o município de Bordéus.

O elemento central da solução reside no escurecimento ativo e dinâmico da luz em função das condições ambiente. Um conjunto de sensores embutidos medem luz ambiente, temperatura, corrente e detetam movimento. Os dados de saída dos sensores são então processados pela inteligência integrada permitindo uma melhor regulação dos níveis de luz. A inovação introduzida pelo LITES permite o controlo integrado do escurecimento da luz para garantir uma queda significativa do consumo de enrgia, respeitando integralmente as normas europeias de segurança que regem a categoria dos locais públicos a iluminar.

A parceria reuniu um consórcio com especialidades distintas no âmbito dos sistemas de iluminação, desde instituições de ensino e investigação, a autarquias e um parceiro industrial no setor da iluminação. As instalações piloto foram montadas na UA (ponte do Crasto), numa rua citadina do município de Bordéus, em França, e na Universidade Técnica de Riga, Letónia.

Este projeto e os seus objetivos são totalmente compatíveis com o Plano de Ação, adotado pela Comissão Europeia em 2006, que serve de referência à política comunitária no que diz respeito ao consumo de energia, visando a redução em 20% do consumo energético até ao ano de 2020. Pretendeu-se também criar um serviço de iluminação pública inteligente e compatível com as classes de estradas CE2-CE5, S e A-, de acordo com a norma EN 13201.

Leia o artigo completo em: http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=41440